Blog – Muito Além do TED

Aqui no Blog, pretendo postar casos interessantes e/ou que me deram trabalho (meus ou de alunos). Só que um pouquinho de romantismo não cai mal para a primeira postagem.

Ainda me lembro do dia em que fui ao dermatologista a primeira vez. Tinha um furúnculo no rosto do tamanho de uma cratera lunar e muito doloroso. Bem na época do vestibular em que eu conquistaria a vaga para a universidade de medicina. Minha médica pediu cultura e antibiograma, mas até o antibiótico fazer efeito meu rosto ficou bem maior do lado esquerdo. Acho que até hoje sinto um pouco de fibrose no local. Tudo feito corretamente.

Pode ter sido um sinal do que estaria por vir para mim, num futuro nem tão distante dali, mas não esperava que a paixão por ensinar fosse ser ainda maior que a por curar ou aliviar.

Queria que quem entrasse no curso (ou não) entendesse quem está do outro lado. Quando escolhemos um cursinho pré-vestibular, não pensamos em outra coisa além da aprovação. Eu penso muito na sua aprovação no TED, mas não escondo meu desejo por algo além: que você, acima de tudo, MEREÇA essa aprovação.

RQE não é garantia de qualidade, mas é um sinal claro de que o dono fez por merecer. Especialmente o de dermatologista, dada a odisseia para conseguir. Entretanto, esse é um pequeno número que deveria estampar os carimbos de muitos alunos bons que tive o privilégio de conhecer até hoje, na minha curta carreira de docência. E foi por causa de alguns desses bons alunos que o curso existe.

Ajudar é legal, mas quando você ajuda alguém que ajuda, você ajuda em dobro, triplo, quádruplo… entende? Simples assim. Não consigo só ensinar a passar. Dou o melhor de mim em tudo que faço.

O primeiro caso que vou postar no Blog não vai ser de um caso que me deu dor de cabeça. Vai ser de um caso que deu dor de cabeça desnecessária para alguém que não merecia: o paciente. Nada como trabalhar no interior para ver até o simples complicar.

Essa paciente me procurou com lesões eritematosas e descamativas, com bordos mais ativos e centro com partes tendendo a cura e partes com lesões de aspecto até granulomatoso. As lesões formavam semicírculos caprichosos no tronco, grandes.

O quadro iniciou na face e lentamente foi passando para pescoço e descendo até o tronco. Lesões pruriginosas e que traziam muita vergonha pra paciente. Sério… ela dizia ter vergonha de sair na rua. Em uma cidade do interior, Deus sabe lá o que ela escutou.

Cinco anos tratando com corticoides, e mais alguns cremes, às vezes daivobet. No início melhoravam, mas voltavam maiores. E por 5 anos as lesões cresceram, e cresceram… até chegarem no estado que você viu. Tinha o diagnóstico de psoríase. Foi tratada por vários profissionais.

Psoríase não gosta de face. Pega a face quando o resto já está comprometido. “Mas como você sabe que começou mesmo na face?” Porque ela me disse! Ou melhor! Porque eu perguntei, e ela me disse!

Passei 5 comprimidos de fluconazol …um por semana. Falei que tinha no posto e ela pegou.

Depois de tomar o terceiro ela voltou. Queria me dar um presente, mas disse não ter dinheiro. Mal sabe ela que me deu um presentão. Fico muito feliz em saber que, após 10 anos trabalhando com dermatologia, ainda não perdi a capacidade de me emocionar com certas coisas.

Dê o melhor de si pelo título e eu darei o melhor de mim para ajudá-lo. Isso eu posso prometer! Eu sei que ele virá! Só espero que ele não se torne um pedaço de papel enfeitando sua parede.

E, em tempos de guerra, de pode isso, não pode aquilo, ele fez isso, ela fez aquilo, aponta dedo pra cá, aponta dedo pra lá, agora pode, agora não pode, propaganda legal, propaganda ilegal… ufa … deixo, sem medo, o MEU ANTES E DEPOIS. Ele não é propaganda! Não demonstrei nenhuma técnica apurada em toxina botulínica, nenhum conhecimento em preenchimento que adquiri na França, nenhum resultado de seiláoquêplastia que aprendi seiláonde… mas, considerando que fiz isso com 3 comprimidos de fluconazol, acho que deveria tentar carreira na área de estética… sério… o mundo pode estar perdendo um “esteticista” brilhante 😉

Dermatologia não é a arte de passar corticoide e aplicar botox! É uma das especialidades mais difíceis da medicina, a que mais tem doenças conhecidas (e desconhecidas). Mereça por você, mas mereça mais pelo paciente!

Pau na máquina!!!

Comentários

WhatsApp chat